Google+

"Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história." Bill Gates

Compartilhe

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Perseguido ou perseguidor

Ontem foi celebrado o DIP (Domingo da Igreja Perseguida), que segundo o site Portas Abertas certa de 3.469 igrejas participaram do movimento, com mensagens, palestras, exibição de vídeos e conscientização de que os cristãos devem se unir em prol de outros cristão perseguidos pelo que fazemos aqui com liberdade.

Mas quem é perseguidor ou perseguido tem algumas características que lhes são próprias. Geralmente o perseguidor é mais forte ou está em maior número, já o perseguido é mais fraco ou tem menor número. O perseguidor nasce por defender um idealismo radical, muitas vezes até motivado por nobres ideais ou por defender sua fé ou princípios, o perseguido também tem suas razões em se opor ao seu opressor, seja por princípios, fé ou idealismo, mas será oprimido por não ser mais forte ou maior.

Aconteceu em 1994, Ruanda, dois grupos étnicos (os hutus e os hictus) entram em um conflito armado, um mais forte, apoiado pelo governo acredita que a eliminação dos hictus do país traria prosperidade e resolveria o problema da maior crise de alimentos que o pais já havia passado. Resultado do massacre: 500 mil a 1 milhão de mortes. Pela própria estimativa percebe-se que não se sabe ao certo quantos morreram.



Bósnia (antiga Iugoslávia), 1992 a 1995, três grupos religiosos protagonizam o conflito mais violento e longo depois da II Guerra Mundial na Europa. Envolveu os três grupos étnicos e religiosos da região: os sérvios cristãos ortodoxos, os croatas católicos romanose os bósnios muçulmanos. A guerra durou pouco mais de três anos e causou cerca de 200.000 vítimas entre civis e militares e 1,8 milhões de deslocados, de acordo com relatórios recentes. Do total de 97.207 vítimas documentadas, 65% eram muçulmanos bósnios, 25% sérvios e 8% croatas. Entre as vítimas civis, 83% eram bosníacos, 10% sérvios e mais de 5% eram croatas, seguido por um pequeno número de outros, como os albaneses ou povo Romani. Pelo menos 30% das vítimas civis bósnias eram mulheres e crianças. Mas percebam que o grupo que mais sofre, é o menor ou mais fraco que tem seus direitos ignorados.

A guerra foi causada por uma combinação complexa de fatores políticos e religiosos: o fervor nacionalista, crises políticas, sociais e de segurança que se seguiu ao fim da Guerra Fria e a queda do comunismo na ex-Iugoslávia. E também, devido ao envolvimento dos países vizinhos como a Croácia e a Sérvia e Montenegro; houve longa discussão sobre se o conflito foi uma guerra civil ou uma guerra de agressão. 



O Brasil teve seu momento, na ditadura militar. Sobre este período, documentos recentes comprovam que mesmo entre grupos cristãos, a denúncia, a cumplicidade com a tortura e assassinato fizeram parte da história da igreja no Brasil, bem como cristãos que lutaram com sua própria vida pela liberdade e a democracia através de movimentos, como o estudantil. Veja mais sobre este período aqui.

O que separa um perseguidor do perseguido é um passo, uma escolha ou a penas um "r". A mágoa, o orgulho, a ira, o ideal ou qualquer outro sentimento que leve desprezo ao outro, ao próximo, pode nos colocar na posição de perseguidor. Paulo, antes chamado de Saulo, saiu da condição de perseguidor para ser perseguido pela mesma fé que um dia foi algoz.

“E Saulo aprovou a morte de Estêvão. Naquele mesmo dia a igreja de Jerusalém começou a sofrer uma grande perseguição. E todos os cristãos, menos os apóstolos, foram espalhados pelas regiões da Judéia e da Samaria.Alguns homens religiosos sepultaram Estêvão e choraram muito por causa da sua morte. Porém Saulo se esforçava para acabar com a igreja. Ele ia de casa em casa, arrastava homens e mulheres e os jogava na cadeia.” Atos 8.1-3


Como igreja, como cristãos, defendamos os mais fracos, os mais pobres, defendamos a justiça, ainda que venhamos a ser perseguidos por causa dela. Não sejamos uma maioria perseguidora, não sejamos mais fortes e opressores, sejamos muitos porem justos. Pois prefiro ficar com as palavras do meu Mestre e Senhor:

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus.”
Mateus 5.10


Compartilhe no Facebook

Related Posts with Thumbnails