Google+

"Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história." Bill Gates

Compartilhe

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ateus americanos querem remoção da “Cruz do World Trade Center”



Grupo designado "ateus americanos", que se diz a favor de uma total separação entre Igreja e Estado, alega que a cruz não tem lugar num memorial às vítimas, uma vez que “mais nenhuma religião ou filosofia” está a ser “honrada” da mesma forma. 

Um grupo chamado "ateus americanos" deu entrada com um processo para a remoção de um memorial às vítimas do atentado às Torres Gémeas, a “Cruz do World Trade Center”.

A cruz, composta pela intercessão de duas vigas de aço encontrada nos escombros do World Trade Center, tornou-se um símbolo dos atentados e foi inicialmente integrado na fachada de uma Igreja em Manhattan, mas entretanto foi enviado para o Museu Memorial do 11 de Setembro, em finais de Julho.

Os "ateus americanos", que se dizem a favor de uma total separação entre Igreja e Estado, alegam que a cruz não tem lugar num memorial às vítimas, uma vez que “mais nenhuma religião ou filosofia” está a ser “honrada” da mesma forma.

Num comunicado, um representante do movimento optou por atacar directamente o Cristianismo: “A Cruz do WTC tornou-se um símbolo cristão. Foi benzida por alegados homens santos e apresentada como lembrança de que o seu deus [sic], que não se deu ao trabalho de impedir que um terrorista muçulmano matasse três mil pessoas em seu nome, apenas se preocupou em deixar-nos uns escombros em forma de cruz. Trata-se de uma afirmação verdadeiramente ridícula”, declarou David Silverman. 
 
Fonte: Renascença

/// Pode isso Arnaldo?

Compartilhe no Facebook

Related Posts with Thumbnails